Consertar a tela do celular pode sair caro

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A tela do seu celular já quebrou? O problema é tão comum que o conserto desta peça representa 40% de todos os atendimentos prestados por assistências técnicas especializadas nos aparelhos. Mas nem sempre somente o vidro é afetado pelas quedas, e se o display precisar ser trocado, o custo pode chegar a R$ 2.500.

Fonte: Jornalismo SBT

Anúncios

Histórias das invenções – Motor elétrico

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Projeto realizado em parceria com a Liga dos Inventores da Universidade Federal de Goiás (UFG), o Grupo PET – Engenharias (Conexões de Saberes) e a Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação da UFG.

Fonte: TV UFG

Histórias das invenções – Pilha voltaica

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Projeto realizado em parceria com a Liga dos Inventores da Universidade Federal de Goiás (UFG), o Grupo PET – Engenharias (Conexões de Saberes) e a Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação da UFG.

Fonte: TV UFG

Histórias das invenções – Padronização de medidas

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Projeto realizado em parceria com a Liga dos Inventores da Universidade Federal de Goiás (UFG), o Grupo PET – Engenharias (Conexões de Saberes) e a Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação da UFG.

Fonte: TVUFG

Tecnologia na produção leiteira

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A tecnologia também é uma grande aliada dos do setor leiteiro. A Região Sul responde por 35% da produção leiteira nacional que superou os 33 bilhões de litros no ano passado.

Fonte: Negócios da Terra

A ação dos hackers

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O pequeno mundo da cibersegurança se reúne esta semana, em Mônaco, para refinar suas estratégias e tentar aumentar a proteção virtual para blindar empresas traumatizadas com os ataques dos vírus Wannacry e NotPetya este ano.

Fonte: afpbr

Robôs prevenem infecções hospitalares

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Medicina e tecnologia juntas. Com está ideia na cabeça universitários de Belo Horizonte desenvolveram robôs para prevenirem infecções hospitalares e melhorar a relação médico e paciente.

Fonte: TV Brasil