Governo alerta que governo pode parar a partir de setembro

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira está preocupado com os prazos de aprovação da nova meta fiscal e alerta que a autorização do Congresso é urgente para evitar que a máquina pública pare a partir de setembro.

Fonte: Jornal da Record

Anúncios

Rombo nas contas do Governo pode ser maior

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Um dia depois do anúncio da nova meta fiscal, o Governo encontra dificuldades no Congresso, que irá votar a mudança. Na oposição e até entre aliados, a suspeita é de que o rombo nas contas seja maior do que os R$ 159 bilhões calculados pela equipe econômica. Muitos consideram imprudência contar com receitas que supostamente virão de projetos que sequer foram votados pelo Congresso. Os mesmos criticam o ajuste de despesas baseado em cortes no funcionalismo. O Projeto de Lei que propõe novas metas para 2017 e 2018 será votado primeiro na Comissão Mista de Orçamento. O clima é de insatisfação com o Planalto, por causa de outra questão. Os deputados consideram que Temer descumpriu acordo ao vetar 63 pontos da Lei de Diretrizes Orçamentárias, e cobram explicações.

Fonte: Jornal da Record

Governo anuncia meta fiscal com rombo de R$ 160 bilhões

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O Governo anunciou na noite do dia 15/08/17 a meta fiscal para 2017 e 2018. A expectativa é de um déficit maior do que o previsto anteriormente. O anúncio feito pelos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo de Oliveira. O Governo atribuiu o rombo ainda maior nas contas públicas à baixa atividade econômica. As perdas na arrecadação, só em 2017, passam dos R$ 47 bilhões. Já para 2018, a queda da receita da União obrigou a um recálculo dos repasses para Estados e municípios, que sofrerão o impacto das mudanças.

Fonte: Jornal da Record

Militares reclamam de cortes no orçamento

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Os cortes preocupam lideranças das Forças Armadas, que já tratam a situação como crítica. Do orçamento de 2017, 40% foram congelados. Nos últimos cinco anos, a redução de investimentos chegou a 44%. Uma das maiores preocupações dos comandantes é a vigilância das fronteiras, que já foi afetada. O monitoramento do uso de explosivos, apoio à segurança pública e até capacitação de oficiais também sofreu cortes. Segundo fontes do Ministério da Defesa, os recursos só cobrem os gastos até setembro. A falta de verba atinge também a Marinha e a Aeronáutica.

Fonte: Jornal da Record

Temer veta investimento em educação para 2018

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O presidente Michel Temer vetou um artigo no orçamento de 2018 que dava prioridade para as metas do Plano Nacional de Educação. Isso significa que os investimentos em educação diminuirão no próximo ano. Temer, que havia prometido manter saúde e educação como prioridade mesmo depois da aprovação da PEC do Teto de Gastos, agora faz o contrário.

Fonte: Rede TVT

Dívida pública vai crescer ainda mais em 2017 e em 2018

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Kennedy Alencar comenta o que já está decidido pelo presidente Michel Temer em relação às novas medidas econômicas, e as chances de vitória do chamado Distritão no plenário da Câmara dos Deputados, na próxima semana.

Fonte: Jornalismo SBT

Crise em universidades federais paralisa obras e pesquisas

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Universidades e institutos federais enfrentam dificuldade para manter serviços básicos, como o pagamento de contas de água, telefone e energia elétrica. O corte no orçamento, determinado pelo governo, já paralisou obras, pesquisas e assistência aos estudantes.

Fonte: Jornalismo SBT

Crise econômica e violência fecham 9 mil lojas no Rio

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Por causa da crise econômica e da violência, mais de nove mil lojas fecharam, entre janeiro e junho de 2017, no Rio de Janeiro. E os comerciantes que restaram fazem de tudo para chamar a atenção da clientela e não fechar.

Fonte: Jornal da Record

Escândalos de corrupção derrubam nível de confiança

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Uma pesquisa da Confederação Nacional da Industria (CNI) mostra que o brasileiro está cada vez mais desconfiado. O levantamento revela que 91% das pessoas acreditam que a maioria da população quer tirar vantagem ao invés de agir corretamente. São nove pontos percentuais acima da pesquisa anterior. Segundo os pesquisadores, os escândalos de corrupção têm tudo a ver com esse índice. A crise também pode ser responsável por um outro resultado que piorou em relação à pesquisa anterior. O levantamento mostra que 55% das pessoas confiam plenamente na família. Em 2012, essa relação estava em 73%.

Fonte: Jornal da Record

Temer começa a punir ex-aliados infiéis

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Governo Temer começa a reorganizar cargos cedidos a base aliada. Deputados que foram infiéis ao presidente na votação da denúncia contra ele já são alvos de retaliação.

Fonte: Jornal da Gazeta

Impactos da decisão de rejeitar denúncia contra Temer

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O cientista político Bruno Reis avalia os impactos políticos da decisão da Câmara de rejeitar a denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer. Ele avalia as motivações dos parlamentares para a rejeição da denúncia e o desempenho do presidente durante o processo. Reis faz uma análise do sistema político brasileiro e de como o sistema deve se organizar para as eleições de 2018.

Fonte: TV Assembleia de Minas Gerais

Fim de convênio ameaça saúde dos bebês em todo o país

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O fim de um convênio ameaça a eficácia do teste do pezinho, um exame capaz de evitar a progressão de doenças em recém-nascidos, desde que o tratamento comece bem cedo. O teste deve ser feito de três a cinco dias depois do nascimento. E o ideal é que o resultado saia até a primeira quinzena de vida do bebê, quando ainda é possível reverter problemas e em alguns casos evitar a morte. Nove Estados dependem do envio custeado pelo Governo Federal. Mas a partir de novembro a parceria entre Ministério da Saúde e Correios termina, o que pode afetar a agilidade nos diagnósticos.

Fonte: Jornal da Record

Crise leva 140 mil famílias de volta ao Bolsa Família

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A crise econômica fez mais de 140 mil famílias retornarem ao programa Bolsa Família nos seis primeiros meses deste ano. Cerca de 500 mil estão em uma fila de espera para voltar a receber o benefício.

Fonte: Jornalismo SBT

Governo congela vagas para cargos concursados

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O sonho da estabilidade está mais distante para quem apostava em uma carreira pública federal. Isso porque o projeto do governo que criou o plano de demissão voluntária para servidores do executivo também congelou vagas para cargos concursados.

Fonte: Jornalismo SBT

Redução da taxa de juros deve aumentar as vendas

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Com a redução da taxa básica de juros de 10,25% para 9,5% ao ano, o crédito deve ficar mais barato e as vendas do mercado devem aumentar.

Fonte: TVNBR

Avaliação de Temer é a o pior no Ibope

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Governo Michel Temer é reprovado por 70% dos brasileiros, de acordo com pesquisa Ibope. Durante agenda, em Brasília, Temer ignorou o levantamento e voltou a dizer que seguirá até o final do mandato.

Fonte: Jornal da Gazeta

Brasil está perto de voltar para o mapa da fome

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Entre os anos de 2012 e 2014, o Brasil reduziu em 82% o número de pessoas com fome. Este ano, um relatório produzido por entidades da sociedade civil que acompanham o cumprimento da Agenda 2030 revelam um retrocesso do país. Entenda.

Fonte: Canal Futura

Governo Federal corta verba da área de saúde

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Um alerta: o Hospital São Paulo, referência na rede pública e no ensino superior de medicina, está sem dinheiro. A situação ficou mais crítica depois do último corte no orçamento anunciado pelo Governo Federal, que também afetou a segurança pública e a educação.

Fonte: Jornalismo TV Cultura

Governo corta R$ 7,5 bilhões do PAC

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Para conter o rombo das contas públicas, o Governo vai apertar ainda mais o cinto. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), vai perder quase metade da verba, R$ 7,4 bilhões. Desse valor, R$ 2,2 bilhões serão transferidos para outras áreas.

Fonte: Jornal da Record

Redução de juros deve incentivar consumo e investimento

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Com a redução da taxa básica de juros anunciada pelo Banco Central, a aposta do governo é de um novo estímulo ao consumo. Apesar do sétimo corte seguido da Selic, o índice continua entre os mais altos do mundo.

Fonte: Jornal da Band

Governo é reprovado por 85% e Michel Temer por 94%

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O nível de reprovação do Presidente Michel Temer e do respetivo governo atingiu valores recorde numa nova sondagem intitulada Pulso Brasil, divulgada mensalmente pelo Ipsos. Depois de já ter registado uma desaprovação de 84 por cento em junho, o instituto de pesquisa voltou a analisar o governo brasileiro nas duas primeiras semanas de julho, entrevistando entre os dias 01 e 14 deste mês 1200 pessoas em 72 municípios brasileiros nas cinco regiões do país. A reprovação subiu para os 85 por cento.

Fonte: Euronews

Turismo deve crescer em todo o mundo em 2018

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A procura por passagens aéreas e hotéis para o ano que vem já começou para muita gente. Viajar para os Estados Unidos e Europa deve ficar mais caro. Por outro lado, os preços no Brasil e nos países vizinhos podem cair.

Fonte: Jornal da Band

Governo corta dinheiro que seria enviado à ONU

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Para retomar produção de passaportes, R$ 102 milhões de reais foram retirados da contribuição do Brasil à ONU e remanejados para a Polícia Federal.

Fonte: Canal Futura

Governo prepara plano de demissão voluntária

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Para economizar até R$ 1 bilhão, por ano, o governo vai propor um plano de demissão voluntária do funcionalismo federal. A proposta já está na Casa Civil, aguardando a assinatura do presidente Michel Temer. Diante do cobertor curto dos cofres públicos, o Ministério do Planejamento propõe um plano de demissão voluntária. O esforço é para enxugar os gastos com servidores que chegam a quase 40% do orçamento.

Fonte: Jornal da Record

Governo anuncia aumento de impostos sobre combustíveis

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Aumento desagrada a população.

Fonte: tvbrasil