Pós-aposentadoria

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Parar de trabalhar não significa ficar em casa sem fazer nada. Esse momento também pode ser de novas conquistas, como o aprendizado de novos idiomas, viagens e até mesmo outro tipo de trabalho.

Fonte: Canal Saúde Oficial

Anúncios

Vaquejada questionada

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ajuizou três ações no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar leis dos estados da Bahia, Amapá e Paraíba que reconhecem a vaquejada como atividade esportiva.

Fonte: TV Justiça

Evitando gastos excessivos de energia no inverno

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
É só a temperatura cair um pouco para que os banhos fiquem mais quentes e demorados. E é justamente no inverno que o chuveiro acaba se tornando um vilão dentro do orçamento familiar. Veja algumas dicas para não ter nenhuma surpresa desagradável conta a conta de luz chegar.

Fonte: SBT Interior

Morar sozinho exige planejamento

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
E ter mais privacidade, ter mais liberdade, é o que muita gente responde quando resolve morar sozinho. Em São Paulo, ainda tem a questão que muita gente vem para trabalhar e não tem outra opção a não ser morar sozinho.

Fonte: tvbrasil

Japoneses mantêm o hábito de usar dinheiro em espécie

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Uma pesquisa comparou os maiores PIBs do mundo e apontou o Japão como o país que mais depende da moeda em espécie. A questão é cultural. O japonês gosta de andar com o dinheiro na carteira e de guardá-lo em casa. Na maioria dos comércios, cartões nem são aceitos. Confira!

Fonte: Jornal da Record

Homem doma cobras venenosas

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Em Serra Talhada, no Sertão pernambucano, o Domingo Espetacular conheceu um sertanejo destemido que tem ganhado fãs no Brasil inteiro. Em vídeos postados na internet, Haroldo aparece caçando e manuseando cobras venenosas e agressivas, tal qual um encantador de serpentes. Ele diz que quer mostrar que não é preciso matar as cobras para não ser picado, mas seus atos têm deixado biólogos furiosos.

Fonte: Domingo Espetacular

Cresce estímulo ao Faça Você Mesmo

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Tendência nos Estados Unidos e na Europa, está crescendo no Brasil um movimento que estimula as pessoas a fazerem as próprias coisas; de um simples brinquedo a uma caixa de som como as mais modernas do mercado.

Fonte: Jornal da Band

Forte queda nas refeições fora de casa

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Com o crescimento do número de brasileiros que levam marmita para o escritório, aumentam as vendas de bolsas térmicas para levar as quentinhas.

Fonte: Jornalismo SBT

ONU: precisamos mudar a forma como consumimos

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O nosso problema está na área de desmatamento – O diagnóstico é da representante da ONU Meio Ambiente no Brasil, Denise Hamú, que chamou a atenção para os desafios que o país tem de enfrentar para combater as mudanças climáticas.

Fonte: ONU Brasil

Consumir de forma sustentável

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Consumir de forma sustentável já é algo que se tornou mais do que nescessário para a sobrevivência do planeta, usar menos o carro, preocupar com as formas de produção das nossas roupas. Atitudes que para algumas empresas vem sendo sinônimo de bons negócios.

Fonte: TV Sul

Novos hábitos na leitura do brasileiro

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Você gosta de ler? Quantos livros você já leu esse ano? Segundo uma pesquisa, alguns jovens tem lido menos. Mas será que a tecnologia tem influenciado nesse hábito?

Fonte: TV Paranaíba

Risco dos balões

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Apesar de tradicional, soltar balões é crime já que pode provocar acidentes aéreos e incêndios tanto na área rural, quanto na urbana. Nesta época de festas juninas, aumenta a preocupação do Centro de investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) em conscientizar sobre esses riscos.

Fonte: TV Justiça

Brasil é campeão em redução de fumantes

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Uma pesquisa americana revela que o Brasil está em primeiro lugar no mundo quando o assunto é gente que abandonou o cigarro. O estudo foi feito pelas fundações mantidas por dois dos homens mais ricos do mundo. O bilionário da área da informática, Bill Gates, e o empresário e ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg. Em 15 anos, o percentual de brasileiros que fumam caiu de 29 para 12% do total da população. Entra as brasileiras, a redução foi de 19 para 8%. Nenhum outro país tem números tão positivos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, ligado ao Ministério da Saúde, 200 mil pessoas morrem por ano de doenças relacionadas ao cigarro, como câncer e enfisema pulmonar.

Fonte: Domingo Espetacular

Congresso libera as vaquejadas em todo o país

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O Congresso Nacional aprovou uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que libera as vaquejadas em todo país. Agora, falta a promulgação da lei. Apesar disso, continuam as discussões entre defensores e grupos contrários a medida.

Fonte: TV Brasil

Casamentos aumentam 35% em 10 anos no Brasil

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Engana-se quem pensa que casar de papel passado está fora de moda no Brasil. Em 10 anos o número de casamentos aumentou 35%, passando de 1 milhão e 100 mil por ano.

Fonte: Jornalismo SBT

Software identifica emoções de pacientes com câncer

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Muitas pessoas consideram escrever uma espécie de terapia, mas pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG) enxergaram na prática uma forma de auxiliar de fato na terapia contra o câncer. Eles criaram um programa de computador que é capaz de identificar o estado emocional dos pacientes por meio daquilo que eles publicam na internet, o Sentihealth.

Fonte: TV UFG

Casamento em alta

Clique na imagem para ver este vídeo
0.jpg

O mercado de casamentos é um segmento movido a sonhos e que não dá mostras de que se abala com a crise econômica no país. As empresas do ramo chegam a movimentar R$ 17 bilhões por ano. E como as opções são muitas, os noivos conseguem adaptar a festa ao tamanho do orçamento.

Fonte: TV Unesp