Uma mulher com 7000 anos

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O mundo conhece agora a cara de uma mulher que viveu há sete mil anos. A mulher de Cuatro Tupus era uma nobre da civilização Caral, no Peru, que morreu com entre 40 e 50 anos e viveu por volta do ano 5000 antes de Cristo. A múmia foi descoberta no ano passado. A reconstrução 3D foi agora apresentada.

Fonte: Euronews

Anúncios

Arqueologia e a cultura Kaingang

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Cultura Kaingang e as pesquisas arqueológicas da Unesp relacionadas às questões indígenas são abordadas nesta edição do Artefato! Começamos o programa, visitando o Museu de Arqueologia Regional da Unesp de Presidente Prudente, cujo objetivo principal é divulgar para a comunidade os materiais arqueológicos de grupos indígenas, além de realizar deferentes pesquisas!

Fonte: TV Unesp

Serra da Capivara guarda vestígios históricos

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O local está localizado no sertão do Piauí, na Serra da Capivara, e é considerado um dos patrimônios da humanidade onde são guardados vestígios históricos.

Fonte: Jornal da Band

Recriado rosto de múmia, em 3D

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Cientistas recriam figura de sacerdotisa morta há 1.700 anos com tecnologia 3D, técnicas arqueológicas e pesquisa etnográfica, revelando dados sobre o desenvolvimento genético do povo peruano.

Fonte: DW Brasil

Os dinossauros morreram por azar?

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Já pensou se os dinossauros pudessem ter tido a chance de sobreviver? Como seria nossa relação com eles? Isso é o que mostra um documentário. Confira!

Fonte: RedeTV

Achado no Brasil fóssil de 200 milhões de anos

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O estudo foi publicado esta semana em uma revista científica norte-americana. Os fósseis estavam no acervo de museus gaúchos há mais de quarenta anos, mas, só agora, oito exemplares da mesma espécie passaram por um estudo minucioso que revelou um animal que viveu no País na mesma época dos dinossauros. O que mais chama a atenção dos cientistas é que, até agora, a presença deste animais, que viveram há 230 milhões de anos, só era conhecida na África.

Fonte: Jornal da Record

Tecnologia a serviço do patrimônio cultural

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
De acordo com os historiadores, a gruta de Scladina, na Bélgica, já era habitada pelos neandertais há mais de 100 mil anos. Agora, um grupo de cientistas utilizam drones para descobrir os segredos que este espaço encerra.

Fonte: Euronews