EUA e Coreia do Norte divergem sobre armas nucleares

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A percepção dos norte-americanos e norte-coreanos em relação às conversas sobre o fim das armas nucleares é diferente. Enquanto os EUA acreditam que há avanço, a Coreia do Norte chegou a chamar negociadores de gangsters. Entenda a diferença de opiniões.

Fonte: TV Brasil

Anúncios

Instituto Semeia

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Elys Marina recebe Fernando Pieroni, diretor executivo do Instituto Semeia. Confira a entrevista.

Fonte: TV Câmara São Paulo

Colesterol alto não está ligado apenas a obesidade

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Muitos pensam que a alta de colesterol no organismo está ligado somente ao sedentarismo e a obesidade, mas a taxa alta também pode vir do histórico familiar.

Fonte: Jornal da Record

Preferência pela tilápia

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Vamos saber o que está por traz da preferência dos consumidores pela tilápia. Para akguns o segredo da preferência está na versatilidade e na praticidade desse peixe de origem africana. A tilápia é o peixe mais consumido no Brasil. Em 2017 foram produzidas mais de 357 mil toneladas, o que faz do Brasil o quarto maior produtos do mundo.

Fonte: Revista do Campo

Vegetarianismo: Entenda esse estilo de vida

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
No dia 1º de outubro comemora-se o Dia Mundial do Vegetarianismo. Este dia foi estabelecido em 1977 pela Sociedade Vegetariana Norte Americana.

Fonte: Agência Brasil

Mães com hábitos saudáveis podem evitar filhos obesos

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, concluiu que mães que mantém hábitos de vida saudáveis reduzem em até 75% os riscos de que seus filhos fiquem obesos.

Fonte: Band Jornalismo

Mulheres são mais cuidadosas no trânsito

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
De acordo com uma pesquisa encomendada pelo DPVAT, as mulheres se envolvem muito menos em acidentes de carros. E quando isso acontece, são menos graves. Em casos de acidentes com morte, a diferença é ainda maior, 82% das vítimas são do sexo masculino.

Fonte: Jornal da Record