A rede mundial de propinas da Odebrecht

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A justiça da Espanha decidiu que o ex-advogado da Odebrecht, Rodrigo Tacla Durán, que estava foragido após ser alvo da Lava Jato, não será extraditado para o Brasil – por ter cidadania espanhola – mas será julgado no país pelos crimes imputados a ele pela procuradoria brasileira. Em entrevista hoje ao jornal espanhol El País, Durán disse que a Odebrecht movimentou pelo menos 7 bilhões de dólares em subornos à agentes públicos ao redor do mundo.

Fonte: Jornal da Gazeta

Anúncios