Acre valoriza sua floresta: produção de mel

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Acompanhe o depoimento deste ex-seringueiro:
\”Eu contei seringa muito tempo. Meu pai viveu a vida sustentando nós cortamos seringa. A gente viveu um período aqui que era triste né. A gente estava sendo expulso da terra nossa né… E ali quando o pessoal se mobilizava. As vezes minha mãe ficava chorando. A gente passou um momento difícil nossos produtos não tinham valor nenhum porque eram vendidos por padrão, pro marreteiro. Um comprava, outro não comprava, a gente tinha muitas doenças, a gente não tinha essa qualidade de vida que nós, uma liberdade muito pouca.\”

Fonte: Notícias do Acre

Anúncios